Salve São João, em live, ou on-line, o mais importante, é manter a alma festiva!

Todas as cidades que exibiam os maiores, melhores, coloridos e mais frequentados são-joões do Brasil, notadamente no Nordeste, forçadas pela propagação do Novo Coronavírus (a Covid19), não terão como dar o da sua graça em 2020.  As festividades em Campina Grande (PB), Caruaru (PE) e São Luís (MA) foram suspensas para impedir aglomerações e conter o avanço da doença fatal no País.

Em relação ao decidido para o Maranhão, qual em São Luís, foi divulgado nas redes sociais que o tambor de crioula, bumba-meu-boi (com  seus cinco   sotaques) e outras manifestações do folguedo,  como cacuriá,  dança portuguesa, dança do coco, além de quadrilhas e grupos de forró,  normalmente presentes no festejo maranhense, já se acham na programação virtual que o  Governo do Estado anunciou para junho. Todos nós sabemos que o São João é a festa mais popular do Maranhão, tanto que, em 2019, foram realizadas em torno de 1,3 mil apresentações durante o período e a ocupação hoteleira em São Luís ficou em 70%.

Na nota oficial do Palácio dos Leões, difundida há dias, na Internet, há um lamento bastante sentido de que “Cancelar o São João do Maranhão é como cancelar a alegria. Milhares de pessoas aguardam essa época, e é difícil passar por junho sem essa grande celebração popular. Porém, a prioridade é com o cuidado e a saúde das pessoas”. Mais adiante, assegurou: “No entanto, o festejo vai ocorrer de forma virtual. Estamos preparando uma programação que mantenha vivo esse espírito junino. Quem sabe fazer um São João do Maranhão marcado pela interatividade e outras formas de comunicação.”

Os principais conjuntos folclóricos, ou os mais tradicionais, quanto o Boi da Maioba, de Maracanã, Madre de Deus, São José de Ribamar, Pindoba, Sítio do Apicum e Guaíba (estes, os de matraca, ou Sotaque da Ilha) foram cientificados deste impasse, e até prepararam sua aparição em “live”, para se exibirem internamente, para seus brincantes e admiradores, e já fizeram ou vão fazer sua cerimônia de batizados. No mesmo caso, para os boi de zabumba (ou sotaque de Guimarães, de onde este estilo se originou), costa-demão, ou de Cururupu, orquestra (ou sotaque de Rosário, os primeiros nasceram naquele município) e os da Baixada (radicados na Capital, porém nascidos os primeiros em São João Batista, Pindaré, Penalva, Viana, etc.).

A cidade paraibana de Campina Grande, dona de uma das principais festas do país, adiou o evento para outubro, ao invés de cancelá-lo, como ocorreu em outros municípios que tradicionalmente realizam festejos em junho. As festividades foram suspensas para impedir aglomerações e conter a disseminação do Coronavírus no País. Celebrações de São João não estão previstas neste mês, mas podemos preparar o bolo de milho, a canjica, a pamonha, o mingau de milho e de tapioca, a batida de maracujá,  para passar de vez  a quarentena. Não apenas quem faz os eventos todo ano tem de se adaptar à realidade atual. O público também vai aprender a dançar em um novo arraial: o virtual. Viva São João! Em 2021, voltaremos a realizar, no Maranhão, o que um cantador compôs: “A festa mais bonita começou de novo!”



0 Comentários


Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *