Pandemia evidencia tendência do turismo em áreas naturais

Sebrae tem orientado sobre medidas de segurança e higiene a serem tomadas para oferecer serviço de forma adequada, além de realizar incentivar mapeamento novas trilhas

De acordo com a 6ª pesquisa de impacto realizada pelo Sebrae, em parceria com a FGV, no final de julho, o segmento do turismo está no topo da lista como um dos mais afetados pela pandemia do novo Coronavírus. Apesar das dificuldades, a análise da série histórica da pesquisa mostra que o segmento apresentou uma melhora ao longo dos últimos meses. As perdas de faturamento que chegaram a 88% no final de março, já chegaram em 74%.

Agência de Receptivo Espaço de Aventura, tem seguido medidas de distância e outras orientação do protocolo de retomada segura – Foto: Arquivo pessoal – Espaço de Aventura

Outra boa notícia é que a busca pelos destinos com oferta de turismo em área natural, sustentável, regional e de curta distância, segundo dados do Google, é a opção mais buscada inicialmente pelos turistas, sinalizando que a retomada do turismo ocorrerá por destinos com essas características por transmitir maior segurança. Outros aspectos que favorecem esse tipo de experiências turísticas são suas características de operarem com grupos pequenos, em ambientes que têm pouco fluxo de pessoas, além de contato direto com a natureza e o ambiente rural. Dessa forma, o Sebrae acredita que há boas perspectivas para o setor durante retomada, principalmente para os negócios que estiverem preparados para se reposicionar diante das mudanças de hábitos do turista por causa da pandemia.

“Alguns empresários estão buscando criar novos produtos com foco em um público de aventura como é o caso do município de Cedral, onde estão sendo mapeadas novas trilhas. Além de buscar novas parcerias com o intuito de diversificar o perfil do turista que visita a Floresta dos Guarás. Outro caminho buscado para incentivar o aumento do fluxo de turistas foi incentivar o turismo local, levando os próprios habitantes da região a conhecer os atrativos. Para isso, o Sebrae está apoiando, por meio de demanda espontânea, com orientações individuais aos empresários”, afirma o gestor de turismo do Sebrae MA na região do Litoral Ocidental Maranhense, Fernando Reis.

Como forma de incentivar e orientar esse mapeamento de novas trilhas, o Sebrae tem visitado empreendimentos que fazem parte do trade turístico na região do Litoral Ocidental maranhense  onde os empreendimentos oferecem uma rica gastronomia regional e originária à base de marisco; como também hospedagem e uma linda vista para o mar, que proporciona ao turista o ambiente ideal para quem busca tranquilidade e paz. O turista também pode desfrutar de passeios em rotas pelo mar ou trilhas. O objetivo das visitas técnicas tem por objetivo potencializar o turismo no Litoral Ocidental que oferece muitas belezas naturais a serem exploradas.

O Sebrae tem buscado ouvir desses empresários ações a serem implementadas para melhor atender o turista e ofertado consultorias nesse sentido. Carlos Cardoso, proprietário da agência de receptivo Esporte de Aventura, em Pericaua, município de Cedral é um exemplo de empresário que tem vivido essa retomada do turismo em áreas naturais pós-pandemia.

O empresário Carlos Cardoso, da agência Espaço de Aventura, e Cedral, tem apostado na retomada pós-pandemia, com foco em reconquistar a confiança do turista – Foto: Arquivo pessoal – Espaço de Aventura

“Estamos estimulando uso de máscaras e limitando a quantidade de pessoas dentro de nossas trilhas. Uso de álcool em gel e evitar aglomerações, tudo para que possamos reconquistar a confiança desse turista que vem até a região. Esse tem sido o nosso maior desafio, fazer com que o turista se sinta seguro, tenha confiança de que pode se cuidar e também se divertir, se aventurar, com responsabilidade, claro. E o Sebrae é um parceiro que sempre esteve junto conosco, nos ensinando, nos orientando, dando todas as coordenadas de como fazer da melhor forma. E agora, mesmo de forma gradativa, já temos sentido o retorno do turismo aqui em Cedral e de como as pessoas gostam desses atrativos que as coloquem em contato com a natureza”, afirma Cardoso.

Na Chapada das Mesas a retomada também já está ocorrendo e o Sebrae tem dado o suporte necessário para que os empresários locais tenham condições de proporcionar esse retorno de forma segura e atrativa.

“A retomada está sendo gradual, respeitando os protocolos definidos em cada município – principalmente nos municípios de Carolina, Riachão e Fortaleza dos Nogueiras. Percebemos que o movimento está se restabelecendo rapidamente, com turistas em grupos menores, vindos de regiões próximas, do Estado do MA e dos Estados do PI, PA, TO e SP, principalmente, em busca do contato com a natureza, nas diversas opções de atrativos com cachoeiras, cursos dágua e contemplação, no cerrado maranhense”, afirma Sandra Barcelos, analista do Sebrae e gestora do projeto de Turismo na região da Chapada das Mesas.

A exemplo disso, a empresa Torre da Lua realizou recentemente a Ecobike Chapada das Mesas, em Carolina.  O evento iniciou em 2016 com um grupo de 13 pessoas e tinha como objetivo fazer pequenas trilhas, mas a cada ano o evento ganhou proporções maiores, atraindo atletas de diversas cidades do Brasil. Este ano em sua 5ª edição, a programação foi reduzida e limitado as inscrições para evitar aglomeração e disseminação do coronavírus. Foram divididos em dois períodos um saindo com 150 pessoas pela manhã percorrendo 60km e a tarde 100 pessoas percorrendo 30 km, onde puderam pedalar entre rios, matas, serras e contemplar a vista do Morro do Chapéu.

Itagores Coutinho é médico e faz parte da equipe Canela Bike na cidade de Palmas-TO, e participou pela primeira vez do evento com mais 5 integrante da sua equipe, buscando muita aventura e adrenalina. ‘’Fazer turismo na Chapada das Mesas é algo incrível pois além da aventura o ambiente traz paz, as trilhas emocionam e para sair da rotina e vir aventurar neste evento é algo que vale a pena, saio daqui vitorioso por poder contemplar tamanhas belezas com a história do local, as imagens das grutas, paisagens, cachoeiras, rios, serras montanhas e muito mais’’, comentou Coutinho.

O Sebrae também reconhece que a liberação do funcionamento dos estabelecimentos e locais turísticos, bem como espaços públicos, depende, fundamentalmente, das condições específicas de cada localidade e recomenda, em primeiro lugar, que os empresários fiquem atentos aos decretos e demais regulamentos vigentes na sua região. Caso os empreendedores identifiquem alguma divergência de informações entre as medidas estaduais e municipais, a orientação do Sebrae é que optem por seguir a mais rígida, de preferência, de acordo com as recomendações das autoridades oficiais de saúde, como Organização Mundial de Saúde (OMS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Saúde, entre outras. É importante, ainda, estar alerta às recomendações setoriais, pois possuem especificidades.

Casal de turista, Carlito e Silvia Nobre, na Trilha do jacaré e caminhos de carro de boi, em Cedral – Foto: Arquivo pessoal – Espaço de Aventura

Atento às necessidades dos donos dos pequenos negócios que atuam no turismo, especificamente em áreas naturais, o Sebrae preparou um guia completo com dicas e orientações práticas para o retorno das atividades. Além de e-book, são oferecidos gratuitamente vídeos, check list, modelos de placas informativas e display para download, em página específica para o setor de Turismo em áreas naturais, no Portal do Sebrae. Todo o material foi elaborado para facilitar o entendimento das normas e recomendações oficiais de autoridades de saúde e com isso, possibilitar que os empresários se sintam mais confiantes para promover as adaptações necessárias para retornar às atividades de maneira segura e consistente.

O empresário deve observar quais medidas são aplicáveis ao seu negócio considerando a sustentabilidade financeira da sua empresa, dos cuidados com o meio ambiente e com a comunidade do seu entorno. É preciso considerar, primeiramente a saúde e a segurança tanto públicas, quanto dos trabalhadores, gestores e clientes, sobretudo adequando seu negócio para que os viajantes conheçam as boas práticas do setor e se sintam confiantes para voltar a realizar suas viagens.

O Sebrae orienta que antes de retornar às atividades é necessário estar atento aos protocolos de segurança e higiene. Além dos cuidados básicos que incluem higienização das mãos, uso correto de máscaras e distanciamento de pelo menos 1,5 metro de distância entre as pessoas. Também é recomendada realização de limpeza e desinfecção de objetos e superfícies que são tocados frequentemente ou compartilhados.

Texto: Rosaline Dourado



0 Comentários


Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *