Criatividade, parcerias e novo modelo de negócio são as palavras chaves para o reposicionamento do setor do turismo

No Polo Chapada das Mesas, otimismo é para alta temporada após as medidas de prevenção ao COVID-19. Para isso, o Sebrae tem se mantido como forte aliado de empresários do trade, que já sentem os impactos da pandemia

O enfrentamento de combate ao novo Coronavírus, também, mudou a rotina do setor de turismo do Polo Chapada das Mesas. Por meio de decreto nacional, os parques estão fechados para visitação. Nesse momento de medidas preventivas ao COVID-19, é necessária criatividade e muito jogo de cintura para minimizar os impactos causados pela pandemia.

Sebrae, juntamente com medidas dos governos estaduais e federais trabalham para fortalecer os setores de hospedagem e alimentação no destino turístico Chapada das Mesas – Foto: Divulgação

No Maranhão, o turismo movimenta mais de 50 setores produtivos, incluindo hotéis, alimentos, bebidas, artesanato, agências e outros. Somente em Carolina, onde fica Pedra Caída, em 2019 mais de 100 mil hóspedes estiveram em pousadas ou hotéis da cidade. Este ano, enquanto já se preparavam para receber os turistas, veio o fechamento para visitação. Pedra Caída e o Poço Azul  anunciaram a interrupção dos atendimentos. Mas o momento não é de pessimismo para o setor, e sim um esforço coletivo para enfrentar a crise sanitária do país.

“O momento agora é de buscar criatividade, parcerias e a nova forma de fazer a atividade, buscar o novo modelo de negócio, e assim um reposicionamento no mercado. E é nesse novo modelo de atividade que o empresário entenderá, mais do que nunca, que o seu cliente é um turista conectado nas mídias digitais. Então, é hora de mostrar nas redes sociais o que sua empresa vem fazendo, o que tem de diferencial, segurança, é hora de analisar contratos que podem ser renegociados e ajustes de despesas. Tudo isso para se preparar para o novo momento que surgirá no pós crise coronavírus. E tudo isso tendo o Sebrae perto do empresário para orientá-lo e tendo a certeza que tudo isso passará e o turismo de nosso estado se manterá forte”, considera o coordenador estadual de Turismo e Cultura do Sebrae no Maranhão, Luiz Walter Muniz.

A fala de Dejaflan Sousa, que trabalha no Poço Azul, na cidade de Riachão, um dos paraísos naturais que compõem o Polo Chapada das Mesas, vai ao encontro de um amanhã mais promissor. “Aproveitamos esse fechamento pra dar férias coletivas aos nossos colaboradores, fizemos um pouco antes um treinamento com eles, e só vamos reabrir quando esse clima no país mudar. É bom que pegamos um gás para vir com força total na alta temporada”, afirma Sousa.

O Sebrae, enquanto força do empreendedorismo brasileiro,  trabalha ações que buscam orientar aos empresários nesse momento de desafio.  Pensando em proporcionar capacitação, orientação e muita informação aos donos de pequenos negócios, tem disponibilizado atendimento remoto e soluções online que podem melhorar a gestão e a competitividade do segmento no pós-crise.

“Somos a instituição que tem a expertise em pequenos negócios e nesse momento estamos atentos em atender as necessidades dos empreendedores. Nesse sentido, colocamos todo o nosso corpo técnico trabalhando, remotamente, na missão de orientar, apresentar soluções inovadoras, dar dicas de gestão em tempo de crise, prestar consultorias financeiras, trabalhistas e em muitas áreas de interesse do empreendedor. Garantir a sustentabilidade dos empreendimentos do nosso é a nossa missão.”, destaca o diretor técnico do Sebrae no Maranhão, Mauro Borralho.

Na região da Chapada das Mesas, o atendimento remoto está sedo feito pelo corpo técnico do Sebrae em Balsas. “ Estamos prestando atendimento de forma remota, consultorias, capacitações, on-line e o nosso atendimento personalizado diretamente com os clientes. O turismo é um dos setores que tem esse nosso acompanhamento e estamos atentos às necessidades desses empreendedores perante a este desafio que estamos passando”, destaca o gerente regional do Sebrae em Balsas, André Veras.

Fortalecimento e Parcerias

Igualmente ao Sebrae, os governos estadual e federal tem trabalho em ações que amenizem os impactos no setor, Uma das adequações para amenizar esse desafio é a campanha estadual “Não Cancele, Remarque. A Pandemia Vai passar, o Turismo não”. O Estado do Maranhão lançou ainda, editais que visam fortalecer hospedagem, guia de turismo, restaurante e artesanato. O governo federal, também, anunciou medidas que visam fortalecer o setor de turismo em todo país.

“Toda mobilização para combatemos e evitarmos a contaminação por COVID-19 em nosso estado, certamente reflete também, em toda a cadeia produtiva do Turismo, assim como em todos os demais setores produtivos do país. Sabemos que esse período irá passar, todo esse esforço é para que o retorno as nossas vidas normais seja o mais breve possível, até lá, continuamos planejando ações e iniciativas para que o retorno seja o mais fantástico, rico, promissor e empolgante possível. Por isso, a frase que todos devemos ecoar é: não cancele, remarque”, é o que explica o superintendente estadual de Turismo da Chapada das Mesas, Beto Kelnner.

O governo lançou também quatro editais que visam fortalecer os setores de hospedagem, guia turístico, alimentação e artesanato. Os editais estão disponíveis no site da secretaria estadual de turismo: www.turismo.ma.gov.br.  Os editais são: “Desvenda Maranhão”; “City Tour de Encantos”; “Tour Ilha do Tesouro” e “Nosso artesanato”.

Na esfera nacional, o Ministério de Turismo divulgou uma série de mudanças com objetivo de facilitar o acesso a crédito para micro, pequenos e médios empresários do setor de turismo devido a pandemia de coronavírus. São elas: O empreendedores terão a suspensão dos limites impostos para a aplicação dos recursos do Fundo Geral de Turismo (Fungetur); Juros ainda mais baixos, com redução  de 7% para 5%;, Mais tempo de carência no pagamento dos empréstimos (até um 1 ano); Adiamento dos pagamentos de empréstimos para as empresas que estão adimplentes; Os empréstimos com taxas diferenciadas as quais podem ser acessados por empreendimentos privados de toda a cadeia produtiva do turismo; Esses empréstimos podem ser para capital de giro, implantar, ampliar, modernizar ou reformar atrativos, adquirir máquinas e equipamentos.

Texto: Rosaline Dourado



0 Comentários


Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *