Samba na Camboa revela traços da boêmia maranhense

Aquilo que todo maranhense sempre gostou de vivenciar usufruindo os prazeres da vida.
Em meio a Pandemia amigos ainda se reúnem nas ruas e becos dos tradicionais bairros para curtir o melhor da música brasileira, agora com as devidas precauções e obediências sanitárias.
Uma lembrança de antes da Pandemia, que agora com o aprendizado e convivência a que temos que nos acostumar, continuará sendo prazeroso fazer, mantendo a distância e usando máscaras. Viva a música!

Um clássico de Djavan “Flor de Lis” na voz de Gutemberg Bogéa e auxílio luxuoso de Júlio Cunha e Jorge Luis no entardecer da Travessa Carvalho Branco com a Rua da Viração

 

Uma homenagem a Escola de Samba Turma do Quinto no enredo “Praia Grande”, ano de 1981. Moradores do bairro reivindicando a volta do bloco “Meu Pinto de Óculos”, criado na Camboa, sucesso no carnaval de rua da cidade de São Luís, na década de 90.



2 Comentários


Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *