Polêmicas da Covid e que nem só o 19 seja o Dia do Índio

 

A polêmica toma conta dos noticiários e debates sobre ações que poderiam ter sido preventivas no combate ao Novo Coronavírus no Brasil. Entre elas, a de que o carnaval no País poderia ter sido evitado e em muito amenizaria o espalhamento e contágio da doença na população brasileira, em vista a maciça participação de estrangeiros no País, no período. Se mais precisamente, no final de dezembro de 2019 já existiam notificações sobre o risco de uma proliferação de um vírus causado por uma pneumonia misteriosa em Huanan, na China, já apareciam, por que as autoridades que lidam com essas epidemias, no caso a Organização Mundial da Saúde – OMS demoraram em alertar o Mundo sobre os perigos da tal doença, fazendo com que todos os países ligassem o sinal de alerta mais cedo para o mal que se aproximava? O que esperaram as autoridades da saúde mundial, já que o surto se espalhava pelas províncias chinesas, devastando a todos e se proliferando para o Mundo, onde tudo já ganhava os holofotes das redes sociais espalhadas pelo planeta?  O que será que segurou esse alerta? Quais interesses falariam mais alto? A negligência por parte da agência especializada em saúde (OMS), subordinada à Organização das Nações Unidas – ONU foi tamanha, que afetou diretamente todos os países do Mundo.

E no Brasil: Por que mesmo se sabendo da proliferação da doença e do caos na saúde mundial, como se permitiu que uma das festas mais populares do Mundo, o carnaval, fosse realizado com a presença maciça de turistas estrangeiros nos País, onde na realidade o mais sensato seria o cancelamento, ou quem sabe o fechamento das fronteiras para uma festa popular apenas do povo brasileiro?! No Rio de Janeiro 23% de estrangeiros vindos em sua maioria do Chile, Argentina, Itália, Espanha e Estados Unidos, se misturaram a 77% de brasileiros, formando um total de aproximadamente 2,1 milhão de visitantes, número esse que cresceu em outros municípios do País, espalhando estrangeiros por cidades como São Paulo, Salvador e Recife em números gigantescos de turistas internacionais que ainda percorreram as mais diversas cidades do País nas mais diferentes e diversificadas formas de se fazer carnaval. Uma realidade preocupante acontecida há pouco menos de dois meses. Em uma entrevista concedida ao jornal Folha de São Paulo, o conceituado médico brasileiro Drauzio Varella polemizou mais a questão, afirmando ter o carnaval brasileiro contribuído para a disseminação do Novo Coronavírus no País. O médico falou que a demora das autoridades brasileiras em tomarem medidas e ações poderiam ter sido decisivas e preventivas, evitando essa proliferação da doença no Brasil.

Mais um Dia do Índio, no calendário oficial, no próximo domingo (19), porém que diversas manifestações possam assegurar sua melhor preservação, pois a raça original merece muito mais que uma simples lembrança na folhinha. É necessário que haja uma política séria de governos, não apenas para manter a cultura desses povos, de forma romântica, mas para lhes dar condições de sobrevivência em suas próprias terras, hoje demarcadas, porém, sempre invadidas e cada vez mais destruídas. É preciso garantir o direito à sobrevivência desses povos, à manutenção de sua cultura, em benefício da riqueza cultural do próprio Brasil!

 



0 Comentários


Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *